sábado, 30 de abril de 2011

O que falta

Todas as cartas de amor que hoje repousam em alguma gaveta velha e as que não foram nem escritas pelo medo da resposta. As rasgadas, queimadas, manchadas de água dos olhos ou caneta ruim. Todos os sentimentos ridículos que só são ridículos pelo tamanho da verdade, pela vontade de dizer sem motivo e mil vezes. Todas as ressacas desnecessárias das noites vazias, que seriam tão facilmente evitadas, que por pouco não são preenchidas de romance e música. Todas as palavras certas da pessoa errada e todas as pessoas erradas que insistem em tentar me fazer feliz quando são incapazes por natureza. Os risos forçados que geram lágrimas no travesseiro, as danças vazias que geram um vazio ainda maior. Os finais de semana que doem o resto dos dias. A mentira que preenche de ar o que devia ser companhia. A amargura que cresce rancor por coisas pequenas e afáveis dos que são capazes da felicidade.

É por isso e talvez por mais algumas coisas que não tem nada aqui dentro. Porque todo o sentimento que faz bem só existe pros outros, pros bonitos, pros inocentes, pros que se deixam levar e são felizes desse jeito. Eu não. Sou artista, sou mentira, sou intensidade. Não consigo aceitar pouco. Tem gente que vive de jogos porque rebaixa o amor à adrenalina, porque acha que o pressuposto dos relacionamentos é sofrer. Eu não sou assim. Não gosto de solidão a dois.

Eu tenho tentado, inutilmente, ser melhor. Me perdi no caminho e não posso voltar ao que era, tampouco posso parar de seguir em frente. Então deve haver uma maneira de evoluir sem perder o direito de sentir. Crescer sem perder a esperança nas pessoas. E aprender isso sozinha é triste: torna todo o resultado
inútil.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Dublê de "Closer"

Ela perdeu com ele a virgindade. Todas as virgindades. Dois homens, duas mulheres, dois coalas de pelúcia e um guidão de bicicleta, não sei, procurei não saber de mais coisas. Saber demais me dava ardor no estômago, mas a verdade nua e crua era um tipo de vício meu. Me disse que era doida pelo cara, e que a saudade fica mais nítida em dias nublados. Dá vontade de sofrer às vezes, mas com senso de humor você nota que tudo é uma grande sátira. Até tento rir de tudo, mas as peças que o amor me prega não tem nenhuma graça.

Um dia me contou que apanhou dele, mas não do jeito bacana, aquele sexualmente falando, com pseudo tapas e puxões de cabelo envergonhados. Foram socos e pontapés. Achei a história horrível e fiquei com tesão. Transamos na hora, crus e suarentos, eu me vesti de minhas fantasias agressivas, ela chorou um pouco, não sei o porquê, talvez vontade do outro novamente, ou porque certo momento eu disse que sentia amor, de um jeito meigo e díspar com o calor da hora.

Ela ficou meio estranha depois, e eu brinquei que depressão pós-sexo era direito meu. Cheguei mais perto, toquei seu braço, cuspindo todos aqueles meus jargões "tudo-bem-minha-menina-linda?", "o-que-você-tem-minha-menina-linda?". Chamou aquilo de "fase". Algumas caras e bocas que ela faz são simplesmente cruéis. Sugeri assistirmos um com o Jude Law (ela adora o Jude Law), pra conter os ânimos, mas tem filmes que deviam vir explícitos na classificação: não assista com sua namorada.

Um ataque histérico levou ela a trancar-se no banheiro, antes dos créditos no fim. Reiterei minha preocupação com um pressentimento triste, claramente algo estava fora de ordem. Abracei a porta. Passei pétala por pétala pelo vão no rodapé. Só ouvia gemidos trêmulos, fungadas e o suporte do papel higiênico tilintando no azulejo. Meia hora depois, me sentei no sofá, desgastado, e fiquei mirando a porta cerrada. Então ela saiu. Sentou longe do meu lado. Ficamos estagnados, torcendo para que o silêncio não significasse algum mistério.

Você tá perdendo seu tempo comigo, ela disse. Eu tenho todo tempo do mundo pra perder contigo, eu disse. Aí olhou pra mim. Eu tive medo. Eu traí você, com vários caras, continuou. Descreveu o último. Como ele a abordou na pista, a pegada um pouco mais forte no braço, o jeito diferente de arrancar a calcinha. A cena era meio familiar, mas não liguei. Mas me amava. Não sabia como, mas me amava. Que o amor era facetado, cheio de metáforas, o sexo não, tinha o prazer como único fim. Era difícil explicar, ela se atrapalhava inteira.

Quis saber o que eu achava disso tudo. Com o paladar em fel, eu disse que tudo bem, o corpo é influenciável, aberto a sugestões, a alma não. Era questão de tempo digerir tudo e seguir em frente. Eu ficaria inseguro, claro, mas a segurança é o veneno da relação, uma serpente peçonhenta que encanta ao mesmo tempo que, silenciosamente, trucida-lhe os ossos. Como no cinema, nossa história já começou e só espero que cortem todas as cenas finais. Perdoei. Meu erro é nunca me arrepender do que faço com o coração.

Fim.

- Só agora, muito tempo depois, já separados, ela me contou que foi tudo um truque mórbido pra ver se eu tomava uma atitude que destroçasse aquele marasmo, inspirada em "Closer". Queria provocar um revide, uns tapas de verdade, um dedo em riste que fosse. A ideia não era ser compreensivo, mas sim trair a nós mesmos. Foi tudo uma mentira, eu devia ter desconfiado pelas pernas curtinhas. Mas agora acabou. Sei que valeu a pena quando me pego sorrindo lembrando as loucuras que fizemos.

Gustavo Lima e Maria Cecília e Rodolfo - Eu te quero sim (DVD Ao Vivo 2011)

Marcos e Fernando - Eu Quero Você Só Pra Mim

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Apego

Ainda não contei de você a ninguém. Acho meio arriscado ou, quem sabe, mera superstição. Eu sei que as pessoas vão me pedir cuidado. Assim me guiei por uma vida toda e foi exatamente isso que hoje me faz uma pessoa contando uma história de amor sem nunca ter protagonizado uma. De um jeito ou de outro, sempre soube que pegar leve era uma forma de me manter todas as minhas metades comigo mesma, até então sem saber pra quê servia isso.

Só pude ver o tamanho do erro no seu sofá-cama, no meio de um beijo estranho. Você engolindo minhas lágrimas bobas, lambendo minhas bochechas nos créditos de "Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças", que, aliás, a única coisa que entendi do filme é que o amor é uma coisa bem complicada. Você tentou me explicar por partes, e eu me senti menos burra e ridícula, embora com os olhos ainda aguados.

Eles, o mocinho e a mocinha, só queriam se esquecer usando aqueles fios e máquinas. Nunca mais lembrar um do outro. No fim, a gente aprende que tudo pode ser vivido só uma vez. Uma coisa ruim me faz te abraçar forte. Aí eu entendo quando as pessoas dizem que amando a gente abraça o mundo, porque, pelo menos aqui e agora, meu mundo inteiro é você.

Meus pés são a parte de mim que mais tenho vergonha e foi justamente por ali que você começou a fazer amor comigo. Como se iniciar pelo meu pior fosse um jeito de dizer que me aceitava, que me queria de qualquer jeito, azar se desde menina sempre fui a última a ser escolhida, do amor a times de vôlei. Você disse que eu tinha uns pés lindos, mas lindo mesmo fica você quando mente pra mim.

É cedo pra dizer, ou tarde demais pra fugir. Talvez você seja um cachorro-cínico-egoísta apenas sendo gentil-romântico-atencioso só pra me enganar na sua cama. Mas se não for você, será outro qualquer. Melhor que seja você. É nisso que eu penso enquanto você arreda as teia de aranha que fizeram casa no centro das minhas coxas e na minha emoção. Pelo menos assim esqueço que você pode estar julgando as estrias na minha bunda agora mesmo.

Aí goza e sai de mim. Fica brincando com meu mamilo esquerdo, olhando admirado. Se você ficar mais um minuto deitado nu do meu lado, embaixo do edredom, já poderei considerá-lo meu novo recorde. Outros já estariam vestidos me chamando um táxi. Você não, quer mudar tudo. Fala coisas que aos poucos transformam minhas expectativas em certezas. Eu achava que sabia a tradução da palavra saudade. Aí vai você e muda tudo. Vai fazer xixi e volta com coca gelada e mais um pouco de bis branco. Gosto mais do tradicional, mas fui nota dez nas aulas que ensinam a impossibilidade de se ter tudo.

Num instante você me olha apaixonado e depois se vira pra janela ficando um pouco fora do ar. Nessa hora me belisco pra não saber do porquê, sem esquecer do dia você me falou que nem toda pergunta requer uma resposta. Mas então não fica assim, não precisa dizer nada, só não me deixe faltar aqueles abraços silenciosos pra calar a boca de quem me mandou ter calma contigo. Agora que eu me perdi só preciso de você me dizendo que amanhã ainda vou te achar no mesmo lugar, se eu procurar. Eu te quero, na medida do impossível.

Pega no meu queixo e diz que não sou só eu que sinto medo aqui. Faça alguma coisa ruim, qualquer coisa que me impeça imediatamente de sentir esse amor absurdo por você. Estou nas suas mãos e isso não é uma metáfora. Porque eu já não sei mais nada. Parece que sou mesmo seu foco de vida, mas também pode ser que você ande apenas distraído do resto do mundo. Ou, vai que você tá mesmo certo, as coisas são assim mesmo, o amor invade pela boca enquanto a gente se olha e fica rindo.

Da série: "Falando Por Mim" 2

Igual a você Nenhum de Nós

Eu sei que nós dois éramos bons amigos
Você conhecia meus medos escondidos
Eu guardava segredos proibidos
Estávamos ligados, comprometidos
Algumas vezes menti
Para te proteger
Você me fez fugir
Quando o melhor era mesmo correr
Eu fazia você sorrir
Na hora exata de chorar
Você me ensinou a pedir
Quando eu insistia em mandar

Agora
você tem

Novos amigos
Normal que um dia
Isso fosse acontecer
Só não me faça te odiar
Não me peça para esquecer
Não espere que eu seja
Igual a você

Algumas vezes menti
Para te fazer correr
Você me fez fugir
Só para me proteger
Eu fazia você sorrir
Quando insistia em mandar
Você
me ensinou a pedir

Na hora exata de chorar

Agora você tem
Novos amigos
Normal que um dia
Isso fosse acontecer
Só não me faça te odiar
Não me peça para esquecer
Não espere que eu seja
Igual a você

I'm Like A Bird

Você é bonito, com certeza
Você nunca vai murchar
Você é adorável, mas não é certo
Que eu nunca vá mudar
E ainda que meu amor seja raro
Ainda que meu amor seja verdadeiro

(Refrão:)
Eu sou como um pássaro, eu simplesmente voarei embora
Não sei onde está minha alma, não sei onde está meu
lar
(e baby só preciso que você saiba que)
Eu sou como um pássaro, eu simplesmente voarei embora
Não sei onde está minha alma, não sei onde está meu
lar
Só preciso que você saiba que

Sua confiança em mim me faz chorar
Mesmo depois de tantos anos
E me dói muito dizer
Que você não me conhece tão bem assim
E ainda que meu amor seja raro
Ainda que meu amor seja verdadeiro

(Refrão)

Não é que queira dizer adeus
É só que quando você tenta me dizer que me ama
A cada e todo dia
Eu sei que no final vou ter que te abandonar
E ainda que meu amor seja raro, raro, raro
E ainda que meu amor seja verdadeiro
Ei, só estou com medo
De nós não darmos certo

Mais uma da série: "Falando Por Mim"

Clichê Sorriso Maroto

Sem você passei a ver o que nunca enxerguei
Sem você me dei um tempo e me repensei

Eu me vi naquelas folhas de outra estação
Que sem vidas são varridas secas pelos chão
Acredito hoje em coisas que me ensinou
Acredito que dias melhores estão por vir
E amores de verdade surjam num olhar
Acredito que a gente possa ser feliz

Desculpe chegar sem avisar
Mas eu não consigo esquecer
Você dizendo que já não me ama
Ensaiei mil coisas pra falar
Pra mim são difíceis de dizer

Em sonhos de amor sua voz me chama
Sei que parece clichê preciso de você

Meu amor eu tive que perder pra acordar
Eu sei que fui difícil de lidar
Sempre fechada sem falar de amor de sol de flor
Vim contar que ando amargando a solidão
Você me fez sentir o coração pulsar doer

MESMO SER NÃO VOLTAR QUERIA TE DIZER

QUE APRENDI A SE MELHOR, COM VOCÊ!

Não há nada

Sinto-me terrivelmente vazia. Há pouco estive chorando, sem saber exatamente por quê.
As vezes odeio esta vida, estas paredes, essas caminhadas de casa para a aula, da aula para casa, esses diálogos vazios.

domingo, 24 de abril de 2011

Eu te dou meu coração


Amor proibido esse meu e seu
Sei lá quem tem razão paixão ta no peito
Desperta o desejo, de te amar oh oh oh

Você é doido por ela
Eu sou louca por você
Apaixonado por ela

E eu não quero te perder


Eu te dou meu coração
Se você provar que me ama
Que me quer
Que me quer
Que me quer
Feliz (2x)

Amor proibido esse meu e seu
Sei lá quem tem razão paixão ta no peito
Desperta o desejo, de te amar oh oh oh

Você é doido por ela
Eu sou louca por você
Apaixonado por ela

E eu não quero te prender


Eu te dou meu coração
Se você provar que me ama
Que me quer
Que me quer
Que me quer
Feliz (2x)

sábado, 23 de abril de 2011

Eu Gosto Dela - Emicida


Bem leonina , menina, mandona,
Linda, sabe da sina, mina valentona,
Fina, cheia de razão, rainha, foliona,
Ela discutindo o novo bota o fim na zona.
Teu olhar ilumina, abomina o cafona,
Amazona e bailarina, toda bonitona (pá).
Ela é purpurina, esquina e pakitona (tá bem).
9 da matina e um café na poltrona (ó).
Dona da rotina, mamãe corridona,
Defina efeito sanfona, se acha esquisitona,
Cafeína, maracujina, moça respondona,
Feiona em dia ruim, mas sempre bela dona.
Maestrina do lar e pop star madona.
"sofina", dança, opina, sorri e faz carona,
Quer ser minha pequenina e pro mundo grandona.
Meu negócio da china, caipira, brigona.
Grita igual buzina em dia nervosona,

Refrão:

Eu gosto tanto dela, a ponto de querer tá perto, pronto,
Não tem outro jeito de me ver sorrir é louco o efeito dela, aqui. (2x)

Santa sem batina, ganha tranquilona.
Hipnotiza a retina, flash figurona,
Estrela maior do show, se precisar machona.
Fria igual neblina, leve e fanfarrona,
Brilha igual platina, prima, sabichona,
Ave de rapina e musa pras telona,
No ritmo latina e lá vai corona.
Ela é paz pra palestina, fé pra babilônia,
Respeito, disciplina, boba e brincalhona,
Estriquinina a tpm, vira felizona,
Ela abre o circo, ela recolhe a lona.
Diz que tá gelatina e malha pegadona,
Vira destaque da piscina, satisfeita a mona,
Mesalina, corajosa, do lar e chorona,
Faz tudo quando quer, eita mulher durona.

Eu gosto tanto dela, a ponto de querer tá perto, pronto,
Não tem outro jeito de me ver sorrir é louco o efeito dela, aqui. (2x)

quinta-feira, 21 de abril de 2011

O trauma - (Eu preciso me apaixonar)

Eu quero me apaixonar, melhor dizendo eu realmente preciso me apaixonar. Tipo urgente! Acho que o amor além de coisas maravilhosas, pode criar certos traumas que podem perdurar, sabe. Exemplo: Eu. Tive um, amei amei, gostei gostei, tive a grande decepção. O tempo passou 1 ano se passou, vivo na minha, numa boa, o gosto amargo ja passou, o doce também. Hoje eu não sinto nada! E justamente isso que me aflige, que me desespera. Tá me deixando louca!

Eu nunca mais consegui me apaixonar por ninguém. Parece carma. Mas acho que foi o trauma, parou totalmente meu coração. Não sei oq houve, oq aconteceu, como foi. Só sei que isso foi se esticando e eu nem vi. Depois desse amor, eu nunca mais gostei de ninguém, nadinha. E não foi e nem é, porque eu ainda o amo, nada relacionado a ele. E sim a mim. Ao meu coração. É uma coisa que vem de dentro de mim, sendo muito mais forte. E como nenhum milagre acontece...

Eu preciso amar; escutar músicas e lembrar da pessoa. A pessoa lembrar de mim. Eu preciso ter a quem lembrar, a quem mandar sms, a quem pertubar com aquele carinho que eu sempre tive antes por alguém. EU SEMPRE TIVE ALGUÉM. Hoje é diferente, eu não tenho ninguém, ninguém me motiva, ninguém anima, ninguém tá sendo suficiente, e eu não sei oq é isso. É completamente novo pra mim. Eu que mesmo na minha, sempre estive com alguém, no coração, no pensamento, em carne e osso, não importa. Eu sempre tive de qualque maneira.

Eu nunca fui solteira por inteira, livre, sabe? Meu coração ou pensamento sempre esteve preso a alguém, mais por amor, porque queria, por prazer, por felicidade, alegria, paixão. Vontade mais do que forte. E hoje eu não me reconheço, nem a mim, e nem ao estado do meu coração. Eu tento gostar de alguém, até do ex amor que tanto me matou, já até tentei gostar de novo, só pra não ter o coração a zero. Mas nem ele mais. Ninguém. Destruiu tudo de bom que eu tinha, acho que foi isso. O que eu era, eu nunca mais consegui ser. Um pouco abestalhada, boba.

Me sinto fraca, quero lutar por alguém, corre atrás de algum amor, ser a sorte ou azar. Que se dani, e tô topando qualquer parada pra não ficar parada. Sacou? Pra não parar de vez meu coração, congelar, essas coisas. Preciso reanima-lo. Mas tá difícil, até um amor não correspondido serve, a gente não deixa de amar, nem de viver, então tá bom. O coração vive, bate...Então tá ótimo!

Posso ATÉ "gostar" de alguém, mas na outra semana, se ocorre algum obstáculo, vejo que não vai dá certo, eu desisto. Tá bom, que eu sempre "gostei" de desistir das pessoas. Mas não era desse jeito que é agora, tão fácil, tão rápido. Demorava viu. Eu não consigo mais sofrer, não consigo mais amar. Meu coração ficou travado pelo trauma de conhecer outros. E isso é horrível, o pior trauma que tem, acredite. Eu já quis ser assim, e hoje vejo que não vale nada a pena. Pelo menos DESSE JEITO não.

Preciso de alguém que eu precise, necessite, e que esse alguém precise de mim também. Seria o ideal. Só sei que nesse tempo, acabo perdendo pessoas que gostam de mim de verdade, e acabo fazendo as sofrerem por eu não conseguir gostar delas. É uma distribuição gratuita de inutilidades! De sentimentos inúteis. Em vão. E eu não tô servindo nem pra me apaixonar.

Ruim não é você nunca amar. Ou nunca gostar de alguém e etc. Ruim mesmo é quando você, que sempre amou, sempre gostou, levar um trauma e de repente não conseguir mais sentir nada. Completamente nada.

Pra mim, adaptar-se a uma coisa nunca vista ainda é mais fácil do que acostumar-se a não sentir o que sempre sentiu.

Marcella Rios

Canudinho


‎"Se eu tivesse um canudinho, eu chupava você
Pra dentro do meu mundinho, pra comigo viver, pra
comigo viver
Se eu tivesse um canudinho, eu me enchia de você
E acabava com o vazio, o vazio de viver
Se eu pudesse te liquefazer, eu te bebia até ficar de porre
Você me embebeda, você me enlouquece
Ai meu Deus, como é que você pode?..."

terça-feira, 19 de abril de 2011

RÓTULO


IMAGEM NÃO É NADA, POSTURA É TUDO! Você pode estar em um palácio e ser um plebeu. Pode estar num carro importado e não ter pago nem a primeira parcela!

Portanto, vista-se como quiser, seja quem quiser, faça o quiser e não olhe para trás.. Apenas olhe no espelho e sinta-se bem, pois esse reflexo é sua alma sorrindo, é sua essência dizendo que você está bem demais!

Gustavo Sana

segunda-feira, 18 de abril de 2011

O que ninguém vê

Estão todos olhando a moça passar. Falam de seu corpo, comentam seu mistério, disputam sua atenção. Mas se a moça olha, mudam de assunto, se a moça pede ajuda, ninguém escuta e se quiser companhia - coitada da moça! - vai continuar só. É assunto na academia, atrai olhares no trabalho e quando sai de noite também. Mas ela dorme sozinha e tem um vazio no peito que ninguém tem vontade de ocupar. A Menina tem um coração pesado que ninguém quer carregar.

Quem olha de longe não percebe e quem não se aproximar nunca vai saber: a Menina gosta livros e Jazz, queria saber dançar, troca uma balada pra assitir a Orquestra, gosta de andar até as pernas reclamarem, tem preguiça de filme cult e vê pequenos detalhes onde os outros enxergam cotidiano. E, acima de tudo, está cansada de tanto assustar e afastar as pessoas, cansada de esperar vidas se resolverem por uma promessa de futuro e ficar pra trás mais uma vez.

Quem vai cuidar da Menina triste? Quem vai levar de prêmio seu amor? Quem tem coragem de assumir o desafio e o coração pesado? Apostem suas moedas, esperem o próximo capítulo. Enquanto isso, a Menina também espera, e esperar dói.


É, poisé. E enquanto isso eu também vou esperando...

Se perder...Se encontrar...Se achar?

Eu defendo que há um mundo inteiro longe dos escritórios e das vidas corretas. Eu apoio o fim do óbvio e das obrigações infundadas que surgiram em algum momento e ficaram por preguiça de ser mais. Mais nascer do sol, um bocado de sair mais cedo do trabalho, novas amizades e experiências jamais imaginadas. O medo nunca foi motivo de orgulho.

Olha, eu acho mesmo é que falta coragem. E tempo. Tempo de olhar em volta e coragem de bater de frente. Quando foi a última vez que você tomou banho de chuva sem se preocupar com o celular no bolso, os cartões do banco, a chapinha, o sapato que não pode molhar? As pessoas têm que se permitir. Aprender o atraso, o olhar em volta. Mudar o caminho de todos os dias e se perder no seu próprio bairro. É o que tenho feito, me perder. E devo dizer que estou muito feliz por não encontrar o caminho de volta.

Silenciando..

Permita-me desfalecer enquanto disserto sobre coragens que não tenho. Deixe-me ir quando não houver mais disposição para ficar. Aceite minhas falhas que hoje me definem e me limitam, mas diga o que for preciso pra me corrigir. Deixe-me chorar pela incompletude desses dias que não passam, mesmo que seja bobagem, mesmo que minha solidão seja infundada e incompreensível. O telefone não toca e se você não conhece o desespero do silêncio, apenas aceite.

Eu ando sorrindo mentiras por aí. Fazendo novos eus, como se só houvesse possibilidade de ser verdade ao lado de alguém. Grandes mentira né! É coisa de gente que se ilude, eu sei, gente que espera o aval de outras pessoas para ser feliz.
Nunca fui assim. Mas assim é que me dá um aperto, uma angústia. Você sabe do que eu estou falando, aquele sentimento que a gente tem quando todo dia é segunda-feira. Eu espalhei muito sorriso à toa, pra ver se um deles prendia alguém no canto dos lábios. Não funcionou. Mas ainda tenho alguns guardados, chorosos, quase desistentes, quase sem motivo, esperando valer à pena escapar pelos olhos.

Perdoe-me a indelicadeza, a maneira bronca no convívio humano. Falta-me a consciência de amar. Sobra-me o medo de ser mal entendida. Tenho limitações bobas que não se explicam com definições certas, palavras existentes. Tem um dicionário inteiro de termos ainda não criados para falar sobre mim. Não sei o que, não sei o motivo, não sei como. Não explico, nem me importo. Apenas sou. E isso tem que bastar.

Você me pergunta se eu não tenho coração. Eu tenho. Tenho um coração vazio de ódio ou amor. Se você não consegue ouvi-lo é porque não faz ele bater. Me provoque, me ofenda, brigue comigo, mas não me deixe presa no comum. Não permita que o tédio silencie meu coração.

Se bastasse sentir

Estou perdendo a escrita. Vejo, aos poucos, as palavras me escapando do formato. Perco os argumentos, os artifícios, as ideias. Restam alguns conjuntos repetitivos de obrigações, quando o teclado me chama os dedos e, automático, escreve algo por mim.
Falo da vida como se fosse um verbo no passado, alguma coisa que costumava ser e hoje só me lembro. Falta tempo, falta apego, faltam laços e sobra essa mania de descrever o sentimento dos outros que não sabem dizer. Sobrevivo das lembranças, tão alheias e mais coloridas do que eram realmente, quando chamadas de presente. O que houve com o tempo de ser fútil? Cadê a leveza da sobra de tempo pra dormir depois do almoço? Tenho ficado velha e irritável, falta a paciência que só conviver com gente além do horário de trabalho cultiva dentro de mim.
Tenho fugido de papel e caneta. Escrever torna tudo real. Fico fugindo dos fatos, do futuro, dessas afirmações que são lógicas, mas injustas. A morte é muito injusta. As pessoas saindo de nossas vidas sem possibilidade de lutar contra, é injusto.
Eu não escrevo há mais de um mês e esse não é um bloqueio comum de criatividade. Tem dores que não devem ser verbalizadas. Tem dias que não devem ser escritos.

sábado, 16 de abril de 2011

'Tamo junto'

Pra curar sua paixão, beba pinga com limão;
Contra falta de carinho: cachaça, cerveja e vinho!
Se brigar com a namorada, beba pinga misturada;
Quem dá amor e não recebe, mistura todas e bebe;
E se alguém te faz sofrer, beba para esquecer!!!
Pra acalmar seu coração, beba até cair no chão;
E se a vida não tem graça, encha a cara de cachaça!!!

Uhuuul, tudo junto e misturadoooo...

Refrão com um pingo de humor.. (risos)

Não era pra ser assim
Não era pra terminar
Mas tudo chegou ao fim
Tão cedo pra se acabar

Não vou mais me iludir,
E nem me deixar levar
Agora eu aprendi
De todo não me entregar

Eu não me rendo,
Não vou chorar,
Eu sou mais eu, ando vivendo
Já não tô nessa, só você não tá sabendo
Não mete essa,
Agora quem não quer sou eu,
Quem não quer sou eu.

Tô de bobeira,
Eu tô solteiro, vou curtir a noite inteira
Tô numa boa de segunda a sexta-feira
Não mete essa, agora quem não quer sou eu,
Quem não quer sou eu!

Chora, perdeu o meu amor
Agora, chora.
Amei, não deu valor,
Agora, implora.
Passou a sua vez,
Pode chorar, chorar, chorar.

Sambinha da Simone, é showwww!

Letra sensacionaaal, sem palavras...

É Festa - Simone

Quando a gente ama
Faz qualquer loucura
Só se pensa em cama
Se
perde a censura
A alma desembesta
É Festa! É Festa!
É Festa! É Festa!
Até quando o sol raiar...

Quando a gente gosta
Gosta de anarquia
Anda descomposta
Fica mais vadia
Faz o que não presta
É Festa! É Festa!
É Festa! É Festa!
Até quando o sol raiar...

Ah!
Vale tudo na hora
Da gente amar
E a gente diz coisas
Que nem ia imaginar
Me lambe, me morde
Me arranha, me bate
Ah!
Isso não tinha que acabar...

Quando a gente ama
Rir de orelha a orelha
Faz qualquer programa
O que der na telha
Canta até seresta
É Festa! É Festa!
É Festa! É Festa!
Até quando o sol raiar...

Quando a gente gosta
Some do analista
Topa até proposta
De ser naturista
Rir de quem contesta
É Festa! É Festa!
É Festa! É Festa!
Até quando o sol raiar...

Ah!
Vale tudo na hora
Da gente amar
E a gente diz coisas
Que nem ia imaginar
Me lambe, me morde
Me arranha, me bate
Ah!
Isso não tinha que acabar...

Quando a gente ama
Anda mais risonha
Vira mulher-dama
Fica sem vergonha
Traz isso na testa
É Festa! É Festa!
É Festa! É Festa!
Até quando o sol raiar...

Quando a gente gosta
Claramente assume
E se alguém encosta
Morre de ciúme
Paga até sugesta
É Festa! É Festa!
É Festa! É Festa!
Até quando o sol raiar
Até quando o sol raiar
Até quando o sol raiar
Até quando o sol raiar
Até quando o sol raiar...

Que letra espetacular...

Ouro de Tolo – Caetano Veloso

Composição : Raul Seixas

Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros
Por mês...

Eu devia agradecer ao Senhor
Por ter tido sucesso
Na vida como artista
Eu devia estar feliz
Porque consegui comprar
Um Corcel 73...

Eu devia estar alegre
E satisfeito
Por morar em Ipanema
Depois
de ter passado
Fome por dois anos
Aqui na Cidade Maravilhosa...

Ah!
Eu devia estar sorrindo
E orgulhoso
Por ter finalmente vencido na vida
Mas eu acho isso uma grande piada
E um tanto quanto perigosa...

Eu devia estar contente
Por ter conseguido
Tudo o que eu quis
Mas confesso abestalhado
Que eu estou decepcionado...

Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto "e daí?"
Eu tenho uma porção
De coisas grandes prá conquistar
E eu não posso ficar aí parado...

Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o domingo
Prá ir com a família
No Jardim Zoológico
Dar pipoca aos macacos...

Ah!
Mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco, praia, carro
Jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco...

É você olhar no espelho
Se sentir
Um grandessíssimo idiota
Saber que é humano
Ridículo, limitado
Que só usa dez por cento
De sua cabeça animal...

E você ainda acredita
Que é um doutor
Padre ou policial
Que está contribuindo
Com sua parte
Para o nosso belo
Quadro social...

Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar...

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador...

Ah!
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar...

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador...

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Tá PorUmFio...

Sabe quando você termina um relacionamento? Chora, se esperneia, relembra. Mas tá. Tudo isso passa. E aí você volta a sua vida normal, festas, saídas, shows, amigos, alegria, bebedeira e etc dessas coisas que nos anima e faz bem. Daí você volta a ter desejo E vontade de outros caras, lembra daqueles sabe, aqueles mesmo que antes você não podia, ou não passava de uma bela atração física. Pois bem, daí você começa a selecionar e fazer sua listinha mental dos melhores pra você, daqueles que diríamos em uma só palavra: Meta (risos). Dada a missão, ela terá que ser cumprida. Mas é claro que não estamos falando aqui de desespero, estamos falando de desejo mesmo. Vontade. Atração. Que chamamos de meta porque né... Temos; queremos e vamos conseguir.

Ego? Não sei, talvez. Mas posso dizer por mim que a vontade é quem fala mais auto depois de um certo tempo viu?! Porque não estamos fazendo isso por obrigação, nem por aposta nem nada relacionado. Somos nós que queremos a qualquer custo! Somos nós que depois de tanto tempo na rua da amargura, acordamos novamente para vida, e estamos enxergando tudo mais colorido, e isso merece não só um brinde com alegria mais sim novas pessoas, e novos caminhos. Perigosos ou não. E charme e sedução estão aí pra isso né, meus queridos.

Prosseguindo... Essa nossa listinha mental, ás vezes pra quem dá sorte como eu (modesta a parte graças a deus) acontecem na melhor das coincidências. Você nem precisa mexer muito seus pauzinhos. É, isso já foi minha situação um dia. A minha listinha foi quase cumprida. Como nada é tão fácil nessa vida, ainda mais para mim que, consegui até penúltimo nome ser feliz.

Faltando um somente para que eu pudesse me dar por satisfeita. Ter o sentimento de, sei lá o que. Mas que é ótimo, e eu não posso negar. Ele não alimenta claro, mas bem que supri as necessidades. Ah isso supri!...

Pois mal, esse último... Meu Jesus cristinho. Tá me dando um trabalho. Tinha até desistido sabe. Mas aí, lá veio ele cutucar a onça com vara curta. Parece até que sabe menina! Brincadeira não. Papo mole. Conversinha mole. Gato mole! Já to ciente.

Mas fazer o que gente... Se ele é tão, bonito, lindo, maravilhoso, gostoso, tudo de bom. Se de certa forma faz um dos meus tipos. Se quando eu vejo, não dá pra entender como ainda não foi, sabe como é? Eu não aceito mesmo galera, na booooooa! Da raiva. Desejo novamente. Ás vezes dá uma vontade de dar a louca e BUM! Jogar logo a bomba de uma vez. Hahahahahaha! Sério mesmo. Ah que desgraça chata, viu! Chegar com decisão na parada e botar as cartas na mesa. Dani-se o depois. Matar; saciar logo essa minha vontade! Louca.

Paixão ou Atração?


Pensando de maneira racional, ele nem faz o seu tipo. Aliás, pensando melhor ainda, ele está bem longe do tipo que a atrai. Mas então, como explicar essa mudança de comportamento quando ele se aproxima? É como se um sensor fosse ligado de repente, e você passa a ficar atenta a todos os movimentos dele: e tudo vai atraí-la - o sorriso, a maneira como ele olha, o jeito de andar, aquele cacoete de prender os lábios inferiores entre os dentes, a forma como passa a mão nos cabelos, e muitas etecéteras aí.
Você pode começar a questionar se não está, tipo assim, apaixonada por ele, mas na maioria das vezes, isso não é paixão, é atração. E indo um pouco além, é atração sexual. A vontade é de pegar, cheirar, acariciar a pele, sentir como é, chegar o mais perto possível e ver o que acontece. Não, é lógico que isso não ocorre só com os homens; a diferença é que eles partem para a ação e concretizam essa curiosidade, sem parar para pensar se estão apaixonados, amando romanticamente ou apenas desejando aquela pessoa. E as mulheres, ah, as mulheres, irreversivelmente sonhadoras e românticas, começam a fantasiar, com deslumbre de detalhes, tudo o que gostariam de fazer com aquele Daniel Craig , que na real, está mais para Matt Damon fora do peso. (Mas eu acho o Matt Damon lindo, tá?)
A atração sexual é de ordem única e exclusivamente instintiva. Não há fantasia, nem prospectos de futuro. Tudo bem, é meio irracional, impulsiva e inconseqüente, mas é preciso considerar que são os elementos químicos que estão envolvidos e não o coração, e eu diria que a norepinefrina está mais presente no caso da atração, pois é um tipo de adrenalina que causa excitação. A paixão é um pouco mais complexa e já envolve outros elementos químicos que estão ligados a sentimentos.

Poisé, atração sexual...És tu!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Porque que homem bonito, é assim?


Além de dar preguiça, fala sério né gente? Que coisa chata e ridícula é aquele homem que tudo bem É BONITO, mas sabe, e pior, acha isso seu tesouro principal. Aff! Tem um carinha aí sendo muito cogitado em minha mente essas ultimas semanas, o cara é bonito não podemos negar. Mas ando tendo a velha impressão que ele sabe até demais disso. E já não tô gostando muito.

E aí me veio essa questão, porque que homem bonito é assim? Recebe essa graça divina e ainda quer se achar demais por isso, peloamor né! Peraí. Tem uns que meu Jesus cristinho, de tanta preguiça da vontade de você pegar a bolsa e ir embora sozinha. E eu já entendo (mas nem compreendo, muito menos aceito) o que se passa na cabecinha de vento deles. Na maioria das vezes homem bonito não faz esforço. Afinal pra que se esforçar se ele já é bonito? Tem sua beleza espetacular e arrebatadora. Homem bonito acha que não precisa te convidar pra dançar, ou puxar um papo na balada. Afinal ele é bonito!

Então se você estiver afim vai ouvir, ou sentir, ou entender com o olhar uma frase +/- assim: " se ela quer, que venha até aqui, oras". E se você se fizer de durona, azar o seu, quem perde é você. ÉÉ... Poisé hoje em dia é muito fácil encontrar homens bonitos desse naipe, minhas queridas. Até feio viu. Fiquem espertas, essa situação bizarra de homem feio se achar, também esta muito na "moda". E você fica naquela situação de tipo, "fui dá uma de legal, dar uma chance pro cara e ele tá se achando, quando não deveria?..ahhh vá né".

Mas voltando aos bonitos, se você se adaptou a modernidade das "mulheres decididas" e VOCÊ resolve chamar o bonitão pra bater um papo. Atenção para o que talvez aconteça: 1) Ele só fala nele, e no quanto ele é "bom". 2) Ele chega a insinuar em uma sortezinha que você tá tendo em estar alí com ele. 3) Ele é lindo, mas de vez em quando dá mancada nos assuntos, as vezes até o falta. 4) Ele fala pouco. "Pra que falar? Eu já sou bonito".

E esse próximo muitas vezes acontece, eu mesma já cansei de ver isso (ahh essas mulheres trouxas)... Se você começa a falar pra dar ênfase a conversa. Ele ainda faz aquela cara de que não tá dando a mínima pro que você tá falando. Odeio isso! O fato é que ele acha que não precisa ser simpático... COMO ASSIM MEU DEUS? Beleza e simpatia estão no mesmo pacote, me diz? por favor, porque eu sinceramente não sei o que passa pela mente desses imbecis, só falando assim.

Acham que já estão sendo SUPER legais em te dar atenção. E a gente tem que se dar por satisfeita. E ainda tem uns bocós que enchem a bola desses tipos de homem, fazendo eles se acharem mais ainda. Puts, que merda viu. E a fila quando você vai olhar pra trás é grande viu. "Não gostou, tem quem goste!" .

E olha que engraçado; irônico; besta... Ele pode dizer mil abobrinhas, que gasta num sei quanto em uma noite, que gosta de axé, forró, ou até mesmo bandinhas sem noção. Que é a favor dos políticos corruptos. Que malha 23 horas por dia, e que se olha no espelho toda hora. E mesmo assim terão mil e uma garotas se atracando pra conseguir o n° do celular/ orkut/ facebook/ msn e etc dele.. - que para ele. puts! não é nada. Quem sabe até na sorte, um segundo encontro.

O homem bonito simplesmente cruza os braços por trás da cabeça. Enquanto você que quer ter um desses no currículo, faz sozinha todo o esforço para ser inesquecível e para agradar. Porque ele, ah ele é bonito e não precisa de nada disso.

Fala sééério né gente! Eu falo tudo isso porque né, é o que mais minhas amigas bestas passam, e eu aturo. Convivo e sei exatamente como é o decorrer... E é por isso que mesmo muito interessada nesse tal carinha aí, tenho medo dele ser isso tudo que eu escrevi, que eu imagino ser. Sei também que preciso arriscar já que um beijo já quase rolou em uma micareta aí da vida. O clima foi legal, mas né gente vai saber... Indecisão tamanha. Mas vou resolver essa parada. O pior é que eu quero, e muito, e há muuuito tempo, papo de anos, sabecomoé? Então!...


terça-feira, 12 de abril de 2011

Simone - Love


Quero que você me traga
Que você me trague
Quero que você me trombe
Que você me estrague

Quero que você me beije, baby
Que me beba e babe
Quero que você me pinte
Que me pegue e pague

Que você me cubra
Que você me cobre
Que você me cure
Que você me core
Que você me cace
Que você me coce

Quero que você me adote
Que você me adore
Quero que você me exploda
Que você me explore


Quero que você me cheire
Que você me chore
Quero que você me xingue
Que você me choque

Que você me livre
Que você me leve
Que você me lavre
Que você me lave
Que você me louve
Que você me love

Traga, trague, pegue, pague, xingue, explore
Cheire, chore, choque, livre, leve, love

Simone - Tô Que Tô


"Vem cá de qualquer maneira

Balança a minha roseira

Me bate de brincadeira

Me chama de traiçoeira

Me tranca na geladeira

Apaga minha fogueira

Promete qualquer besteira

Que eu fico toda faceira.."

inevitabilidade

Eu só preciso da alegria e da esperança.
Porque viver ainda é a única e melhor saída.

afinal

o que é "ter tudo nesta vida", quando quem achamos que "tem tudo", afinal "não tem nada"? [confusion]

segunda-feira, 11 de abril de 2011

O amor mais bonito


No instante que me iludo, é quando você me esquece. Quando volto à tona, você mergulha nos meus olhos. Se eu te roubo rosas vermelhas, você faz "bem-me-quer". Quando hesito, é quando você já está na estrada.

Se me perco no teu beijo, você fica tentando encontrar um caminho. Quando me encho de receio, você me diz estar pronta. Eu te ponho em xeque-mate, você me diz que cansou de jogar. Quando não quero me machucar, você me telefona no meio da noite.


Eu vejo o sol nascer no mar, você se preocupa em não molhar os pés. Quando eu não durmo, é quando você sonha loucuras sobre nós dois. Quando sinto teu gosto na minha boca, você pede economia nos clichês. Se não quero parecer patético, você se diz um poema apaixonado.

Eu quero parar o tempo, você procura seu relógio embaixo da cama. Quando me escondo, é quando você me quer em cima de você. Se apresso meu passo na sua direção, você engata a marcha ré. Quando reuno meus pedaços, você dá o coração para bater.

Eu deito no seu colo, você se preocupa em fechar a janela. Quando me poupo, é o instante que você se dá de graça. Se ando em alta velocidade, você conta os níqueis pro pedágio. Eu perco as chaves, você insinua mudar pro meu apartamento.

Um amor físico, fatídico, real, raro e patente. Um amor que nasceu, mas nunca viveu. Um amor que aconteceu, mas não foi ocupado. Daquelas comédias românticas que ninguém tem tempo de rir, pois já começa pelo final. Os amores mais bonitos são aqueles que nunca foram usados.

O Choque Térmico

É impressionante como não consigo respirar direito na sua frente. Te conhecer foi algo extraordinário, como de um dia pro outro ganhar asma. Minha mãe sempre dizia pra não andar de pés descalços e tudo que eu fiz foi piscar na hora errada. Minhas defesas caíram e agora você taí, respirando meu ar e comendo meus iogurtes, como uma infecção parasitária que me faz tão bem. E se antes eu já não visitava o médico, agora mesmo que não tenho vontade alguma de cura. Eu tenho o corpo pesado, preguiçoso e sonolento, coisa que não me deixa fugir de você.

Não sou dessa gente que precisa estar apaixonada e nem nunca tive essa curiosidade mórbida de viver uma infelicidade dessas, a perda do sono e de peso, a angústia antes de saber se a coisa vai mesmo acontecer, como se o mundo fosse uma grande sala de espera, cheia de romances ruins na mesa de centro e novelas duvidosas na tevê suspensa no ar. Antes de você chegar, eu tinha meus discos do Radiohead, meus dvds do Jerry Seinfeld e quase todos livros do Jack Kerouac, ou seja, eu tinha uma vaga noção de completude.

Mas é impossível ser feliz sozinha porque sempre tem um desavisado pra te encontrar no meio de um milhão de pessoas, jurando que essa felicidade doida é uma coisa boa. Pessoas do tipo "procuro-um-amor-verdadeiro-que-dure-para-sempre". E lá vem você dizer que sou uma pessoa triste e rançosa. Sei que pareço infeliz e mal-humorada, mas é só escudo. Minha felicidade é sempre pequena demais pra espalhar por aí. Não tenho culpa.

Ademais, como eu posso entrar cega num jogo que pra ganhar eu preciso me perder de mim? Amar é se doar, dar demais é ficar sem nada, por isso eu entrego você de bandeja. Desistir das pessoas é comigo mesmo. Sou só uma pessoa generosa que não tem necessidade de ocupar mais espaço no mundo, além do pouco que me cabe.

E eu sei que no fim, ou até muito antes do fim, você vai me fazer sofrer muito porque não consigo refletir no espelho algo que realmente faça você se interessar por mais que duas semanas bem vividas. Posso ouvir minha mãe dizer pra não sair no frio porque com o choque térmico posso ficar torta pra vida inteira. E eu sei que um dia você vai abrir a janela, olhar pra fora com fome e deixar um vento súbito gelar meu peito.

E aí, depois que essa febre sideral baixar e passar noites e noites esfregando na manga a coriza que ficou como sequela, compenetrado em espirrar você de mim, serei uma daquelas pessoas que jamais conseguirão beijar outras no sereno sem o auxílio de um spray de própolis. Esses mortos-vivos que dormem com a saudade enquanto você esfrega seu suor no corpo saudável de outra pessoa. Serei um alguém com o ar dos pulmões eternamente congestionado, incapaz de aspirar uma nova paixão bem debaixo do meu nariz.

Os quase amores

Tudo bem, você pode desconfiar de um quase corno. Mas, provavelmente, nunca apertou a mão de um semi-gay. Ligeiramente grávidas nem precisam ser desvendadas pela sabedoria do Padre Quevedo. De meio amigos também não há registros, porém para encontrar mui amigos, chute uma lata e surgirão como ratos. Mas quase amor existe.

Quase amor é aquele ensejo de romance que surgiu com sabor de sorvete de baunilha. Você foi dar uma colherada com gosto e SPLASH! Ao levar o prazer até a boca, o doce escorreu e espatifou, melecando sua calça jeans. Todo mundo passa por isso, quer queira, quer não. Histórias de quase amor não lotam pré-estréias em Los Angeles, mas na vida sem bilheterias goleiam impiedosamente os contos de amor concreto.

Um amor que não passa do primeiro beijo porque o cara é noivo, é um quase amor. Um romance que não chegou no sexo, pois uma das partes embarcou com urgência para Londres sem aviso prévio, é quase amor também. Visualiza a cena: você gosta de uma garota comprometida e pede a ela que não suba no ônibus. Ou será o fim. Ela titubeia, faz bem-me-quer, mas segura o corrimão, ergue o pé direito e te olha com beiço de despedida. Pronto, outro quase amor saindo quentinho! Uns duram cinco anos, outros cinco meses. Raros, cinco dias. Contudo - de fato e amargamente -quase amores se dão como formigas em pote de mel.

Por isso quase amores existem e não existem. Talvez não tivera beijo, ou não houve sexo, quiçá um abraço de urso. Quase amores são cheios da falta de café na cama, juras de amor eterno, cena de ciúme, mordida no queixo, lutinha no carpete, banho de espuma, briga na casa da sogra, despedida em rodoviária, confusão de chinelos, chimarrão no meio-fio, troca de alianças, beijo na testa, orgasmo com choro e velhice compartilhada.

E se engana quem pensa que os quase amores são aqueles impossíveis ou proibidos, do tipo Janet Dailey. Amores por um triz tem motivos circunstanciais.Amor que é proibido, mas os dois se correspondem, já é amor completo, mesmo que imperfeito. Quase amor é quando um dos lados se doa pela metade, quando tanto. Aí é pretérito. Bem mais que imperfeito.

Quase amor é um lugar estranho e ao mesmo tempo familiar. Aconchegante e inóspito. Enérgico e gélido. É como quando você tem um "Déjà Vu" ao entrar numa rua ladrilhada dessas de cidade histórica. Um lugar aonde você jamais esteve, porém consulta sua memória rígida buscando reconhecer árvores, calçadas e telhados. Uma saudade abstrata pressiona o peito. E quase dói.

Amanda, 1983

Sentada e esperando uma resposta, você força lembrar se ligou pedindo pra que tomasse cuidado e não aceitasse nada de estranhos. Revestido de branco, ele sai da sala grande de paredes verdes-claro com as sobrancelhas bem retas. O ar de quem tinha tudo nas mãos e sente que falhou, mesmo fazendo até onde o diploma licencia. O striptease de luvas cirúrgicas anuncia o fechamento do show e o começo dos dias em que olharemos no espelho sem a coragem necessária pra se intitular humanos.

Aqueles olhos tímidos, que você frequentemente confundia com cinismo, não vão abrir amanhã, nem quando o sol bater no queixo contraído pedindo com jeito. O jornal não veio pra transformar isso em manchete. E, pra quem sempre sonhou voar, o pulo mais alto de todos foi também a notícia mais triste. Pra quem sempre brigou pelas vezes que voltou tarde, agora, depois da última festa, parece que tudo aconteceu cedo demais. Se ficar mais confortável, pense assim: ela simplesmente se mandou, como costumava ameaçar.

É preciso ser forte diante da fraqueza de quem só queria sacudir o mundo. Caminhar nas nuvens é o último escape de quem não tem paciência de ficar por baixo, esperando pra ver o arco-íris que, mais dia ou menos dia, todos dizem chegar depois da tormenta. Algumas pessoas simplesmente não conhecem a palavra luta, desaprendem a sorrir ou então não encontram um jeito de esquecer. Pra quem sempre precisou de atenção, o escuro do quarto muitas vezes não é suficiente. Se pudéssemos julgar, não tínhamos ficado pra aprender.

Eu sei, a saudade é só um prêmio de consolação. Mas como não reconhecer a importância de um sentimento que dura mais que a presença? Até onde vocês nos ensinaram, o amor acaba e se divorcia. Já a saudade nunca tem fim. O jeito dela caminhar pela rua, olhando pros três lados, folheando livros em estandes comerciais, fingindo que alguém gostava dela do outro lado da vitrine, convencida de que a ausência de afeto era tão bonita quanto na literatura. Aqueles olhos já doentes de arrependimento pelas coisas que já sabia, não teria audácia de viver. Viu só? Muitas lembranças vão ficar, além de, claro, todo ano, esse maldito dia e esse maldito mês.

Mas ela pode estar sorrindo pra você agora mesmo. Ué, por que não? Vai que agora, onde estiver, achou um outro alguém dizendo que também se sente um pouco perdido. E que oferece mais oportunidades de conversar que um bilhete curto na geladeira. E que vai além da primeira tentativa, confronta a primeira recusa, com a ponta dos dedos levanta aquele mesmo queixo contraído querendo saber o que foi dessa vez, menina. Alguém que sabe iluminar um dia frio sem aquela velha luz tão amarela e artificial. E diz, meio baixinho e quase sem convicção, sussurrando o nome bonito e sugestivo que você deu, que amar não é assim tão complicado. Basta fazer a diferença.

Talvez não tenha dado tempo dela dizer, mãe, mas você foi e sempre será o maior exemplo. Faça jus, seguindo em frente como não teve tempo de mostrá-la como se faz. Correria, sei bem como é. Talvez a gente não a encontre novamente e essa noite fria vá negaciar eternamente o gosto de uma segunda chance. Não importa aonde ela sempre estará, de qual lugar misterioso ela vai te sorrir, pra quem for capaz de carregá-la no peito e no pensamento, todo lugar é aqui.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Phoenix - Lisztomania 2010

Photo - Ontem 4/4

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Não me vem com romance

O cigarro deixa um gosto incômodo na minha boca. Mas não vou negar, vale a tentativa, me deu prazer, foi bom pra mim. Sempre é. Mas depois o gosto incômodo. O sabor cinza que fica até o sol dissuadir a noite me fazendo lembrar deveres e horários. Eu trabalho cedo amanhã e acho recomendável você ir. Ofereço meu telefone pra chamar o táxi e não se faça de rogado. É assim agora. Não me ofendo mais disso não ser amor, mas também aqui não é hotel. É a regra da casa. Ninguém mais vai quebrá-la. Não vem com romance. Não se fica mais. E não adianta bufar.

Por mim tudo bem assim, por ora não anseio mais fundir almas, compartilhar risos e diálogos interessantes, coisas que posso obter a partir de meus bons livros, meus filmes, antigas fotografias coloridas de sorrisos, meus amigos esquisitos que vou encontrar logo mais adiante. Gosto do meu individualismo, só me encontro dentro dele, lá fora cansei das pessoas trocarem ideias, mentiras, vantagens, idiossincrasias. Não importa o quanto me fazem rir e sentir um pouco mais distante da morbidez. Vocês sempre terminam me magoando quando servem-se de metade, só um pedacinho de mim. O eterno gosto incômodo de cinza na boca.

Sim, e daí? Me veem mesmo como uma espécie de aberração natural. Sou apenas um iceberg no centro da metrópole, procurando o café mais aromático, onde é proibido fumar e não existem esses antagonismos entre coração e razão. Eu não procuro e duvido que vão me encontrar. Não vem com romance. Amor é vida, eu tive sete, e todas as vezes morri de forma brutal, então hoje caminho por aí buscando romper com meus passados, como um assassino de memórias em série. Em cima do muro não me sinto encurralado e não preciso encontrar saídas de sobrevida.

Estamos de acordo? Não. Melhor assim. Eu conheço dois tipos de gente. Aqueles que buscam seu próprio sonho dentro dos outros. Esses são os românticos e sua incessante caça pelo ideal, de decepção em decepção, esquecendo da subjetividade dos sentimentos, numa poligamia melodramática, como um álibi onde se justificam seus erros, traições, carências e rejeições. Palmas, vocês comovem as pessoas. O outro tipo, meu tipo, a ala dos objetivos e menos escandalosos, já não projetam seus ímpetos quiméricos, não nos derretemos com seus pedidos de ficar e dormir colados e ofegantes, como duas plantas enroscadas debaixo de um aquário, sem oxigênio.

Seus olhos são verdes, claros e bonitos, mas rejeito seu convite pra um mergulho. Você me interessa justamente por não ter capacidade de me decepcionar. E desculpa se te choquei, mas não preciso de perdão ou aprovação, sua e de ninguém. Durmo tranquilo e sozinho e sem vergonha e com as cinzas. Quem é mais justo e digno e honesto do que aquele que dá somente aquilo que tem pra dar? Me faz rir jurando que são aqueles que pedem pra ficar, só porque é tarde e a cama é quente, até daqui a pouco...
Quem fica por razões erradas não fica por muito tempo.

Pergunte ao guarda-pó

"...Eu tive tantos meio-dias e sabia tanto sobre ele e não perguntei seu nome, número ou endereço. Viver é feito de instantes, e não vive quem hesita por muitos segundos, sob pena de colocar a perder tudo que não ganhou. O que poderia ser uma nova história, não passou da continuação de algum capítulo enrolado e chato. Então quem sabe um dia. Vou continuar esperando alguma coisa dos meus dias, rezando contra essa minha inércia. Os dias vão passar, mas não vou me esquecer de ainda querer escutar aquele riso."

Ninguém muda...Tanto assim

Fazia muito tempo que a gente não se via depois que tudo deu errado.

Convidei pra um cinema e você me pediu que subisse. Tudo estava diferente fora as roupas sempre penduradas. Ficamos ali suspensos, sem saber que horas eram, se agora nossos dias separados haviam nos passado pra trás. É só paz de espírito. Ou duas pessoas sem habilidade de montar o quebra-cabeça de uma segunda chance. A gente foi assim, como dois espelhos, a personificação do côncavo e o convexo, refletindo um pra cada lado, só que com o encaixe perfeito. Só o amor sem terceirizações, feito de não mais que duas pessoas, pode ser tão redondo e circular a ponto de voltar ao ponto de partida.

Mas a gente só fica ali, nos sentindo velhos demais pra expor sentimentalidades e falar do que foi. Aí você estupra o silêncio e diz que foi chato o tempo de ficar ouvindo os outros falarem que mudei depois que dei fim àquilo que não tinha fim. E saí fora, com a bolsa cheia de promessas de um futuro melhor e os olhos sob nova direção. Eu deixo escapar que foi bonita a história. Ainda lembro que o plano era provar pra todo mundo que amor perfeito não era só nome de flor.

Mas eu decidi que ia amanhecer em discotecas, provar de bebidas coloridas, ser envolta pelos braços de um novo romance, o mais urgente possível, qualquer um que falasse por mim "diz pra ele que me viu com outro, que eu mudei, fiz uma nova tatuagem, ando ouvindo tipos de música que ele odeia". É o primeiro reflexo: a gente sempre põe alguém no lugar, como um teste pra saber se acabou de verdade ou pro fim não ficar sem carimbo. Aquelas pessoas insípidas que servem pra dividir águas mas logo logo passam por baixo da ponte sem mover nossos moinhos.

Sinto muito se eu era tão feliz e não me dei conta. Se nas poucas vezes que eu sorria, sabia que a intenção era apenas ferir. Mas agora já não sei o que fazer com isso, só sei da minha vontade de fazer um brinde ao nosso reencontro e te beber inteiro sem receio de me afogar outra vez. Mas você fica inerte, deixando bem claro que estou abaixo de uma ferida de cotovelo, talvez tentando proteger aquela parte do corpo que já tanto doeu.

Talvez seja só uma dívida com meu ego mimado, mas eu sinto tesão. Eu quero agora. Se não for por reconciliação, que seja de despedida. Você me vê com um "sim" em cada olho, mas não oculta uma certa tristeza. E faz uma cara como dizendo que desse jeito não vai dar. Mas eu quero muito, então faço uma cara de não se preocupe, deixa que eu dou, do meu jeito. Você bem lembra. Olha eu aqui outra vez. Ninguém muda tanto assim.

Martha Medeiros, falando por mim...

Mulher tem faro, não se contenta com a embalagem. É bem mais comum ver uma mulher linda acompanhada de um homem aparentemente sem graça do que o contrário. Não é (só) porque a concorrência é implacável e nos contentamos com o que sobra. É porque mulher tem raio-x: consegue olhar o que se esconde lá dentro. Se além de um belo coração e um cérebro em atividade ele ainda for apetecível, é lucro. Pena que a recíproca raramente seja verdadeira. Economizaríamos fortunas em cabeleireiros e academias se os homens fossem direto ao que interessa, na alma e no espírito, para os quais não adianta maquiagem.

domingo, 3 de abril de 2011

Ficaí

Parece exagero, mas é que você, poxa vida, só você conseguiu pular o muro de dificuldades que levantei em volta de mim quando as palavras dor, saudade, ausência, falta e despedida fizeram de mim uma menina de lata. Você e seus cabelos escuros e sempre meio ensebados de vir da rua, seu abraço com cheiro de confiança e seus sorrisos nada comerciais. Eu, menina com os pés no chão e sem teto, acabei de decidir que vou levar um choque térmico, atravessando bruscamente pro lado quente da calçada. Conto contigo. Então, ficaí.

Rainha da pista

Rainha da Pista que conquista quem passa
quente como o sol e faz sinal de fumaça
quando vai embora tudo fica sem graça
a saia dela diz onde ela quer chegar
difícil é saber como me aproximar
o que será que ela tem pra dar...
menina...Rany Money

lança um vestido gata aquele mesmo que veste irado
hoje eu te quero deste lado bebendo um destilado
Uísque champagne energético com vodka
e já que me deu o numero é certo hoje eu vou discar
Ela é a melhor Papatinho (-Fala tu) ,e parece capa da playboy
Se ligo em um maluco doido tipo eu e esqueceu os playboy (-Haha)
- Então se toca lindoca, já que não quer um mauriçoca
vem pra oca do seu rapper carioca
- Nem pensa em filme e pipoca, idéia depois nós troca
e fala para as amigas (shh) não fazer fofoca
ou fingir que gosta aplaudindo igual uma foca
se ela tiver com ciúmes relaxa nada te troca
- Eu sei que tu quer privilégio, eleita desde o colégio a melhor
Hoje um pouco mais velho deixa eu sentir seu suor
Tu ta ligada na CONE e já ate sabe meus sons de cor
se esbalda na pista e diz: - Gimme More Gimme more
Quer ficar como rainha na boate
quer vestidinho e calcinha da Versace
Quer ficar linda na linha socialite
e adrenalina ate uma ilha de iate
Eu quero smoking & bengala e um birinight
Uma Ferrari um Porsche e um Maseratti
um estudio, um skate e wake no iate
ficar tranquilo numa mansão igual do Eike B.Refrão (Ari)
Rainha da Pista que conquista quem passa
quente como o sol e faz sinal de fumaça
quando vai embora tudo fica sem graça
a saia dela diz onde ela quer chegar
difícil é saber como me aproximar
o que será que ela tem pra dar...

Cert

Menina, você não sabe o que tu quer. Se é meter o pé, ou ser minha mulher
En-tão, linda/Decida-se
o que quiser, se não for o Tcer, é uma vez só, e vish
Nos meus migué, se eu dou rolé, com as amigas de strip-tease
Tu me procura, na madruga, não me atura triste
E eu de whisky, gin, filetes, alucinação
Tu me encontra na pista, as minas, assiste, a discussão
Eu não quero fazer cena, detesto viver problema
Quando é minha de fé, nunca resolve um telefonema
A base da relação, é o diálogo que faço
Termina em sexo, "kAbraço", preciso de muito espaço
Esquece o resto, é certo, que a nossa história é uma só
Ela é nova, é rara, única e bem melhor, hu
Por favor meu Deus, Senhor me explica como na guerra ela me mostra o amor
Quando nós entra em discussão, quer até atacar minhas rimas. pfff
Mina, se liga, eu só escrevo obra-prima
Então, cola comigo, que eu te mostro o infinito
Se é impossível, eu faço tudo que for preciso. hunnn.
Por que você diz isso
Que eu não sou bonito
Escuta os improviso
Diz que eu sou um cara lindo
Não adianta tu falando que ela não é boa pra mim
...Eu sei o que é bom neguim
Por isso eu fecho sim, juntos até o fim
Ela quer golden green só whisky com gelin
Se a vida é boa, hu, então aproveita mina
Se tá a toa, vem com a mão, e balança nessa batida
Canário voa, enquanto o Cert soa lá em cima
Voa alto, além do asfalto, por cima dessa neblina.
Eu sei/Que o sol é o astro rei
Que o tempo é um só
E não disperdiçarei
Por um mundo bem melhor
Eu juro que tentei
Se no final tudo se acabar com a minha mina eu estarei.

Rany Money

Tranquilidade pra vida?
- Eu vou te dar linda
Sinceridade na vida?
-Eu nós que tá linda/Sex on The Beach e Tequila!
-Vamos brindar em frente ao mar
E uma casa com piscina?
-É certo se esse som bombar.